Dobra adesão ao selo do turismo em Mato Grosso do Sul

Mato Grosso do Sul está entre os estados de maior adesão ao selo “Turismo Responsável – Limpo e Seguro”, lançado em junho pelo Ministério do Turismo para identificar segmentos de turismo que cumprem os protocolos contra o coronavírus (Covid-19), uma espécie de certificado de boas práticas de saúde e segurança no enfrentamento à epidemia.

Em todo o Brasil a adesão chegou a 20.273 selos, com maior número de solicitações para as agências de turismo (6.285), meios de hospedagem (4.738) e guias de turismo (2.720). São Paulo (3.961), Rio de Janeiro (2.848), Minas Gerais (1.784), Bahia (1.410) e Rio Grande do Sul (1.051) são os estados que registraram a maior adesão ao selo.

Conforme balanço atualizado divulgado pelo Ministério do Turismo,  o mês de agosto terminou com 208 selos emitidos para estabelecimentos de Mato Grosso do Sul, a maioria para os setores de hospedagem (67), agências de turismo (59), prestador de serviço especializado (20), empresas de ônibus de turismo (15), restaurantes e cafeterias (13). No balanço de julho eram 103 adesões.

O estado inicia o mês de setembro como o terceiro no Centro-Oeste em emissões do selo: Goiás (306), Brasília (254), Mato Grosso do Sul (208) e Mato Grosso (192). Empresas de turismo de 22 municípios sul-mato-grossenses (são 79 municípios no total) aderiram à certificação do Ministério do Turismo.

Destinos de Mato Grosso do Sul com maior número de adesões ao selo de boas práticas de saúde e segurança no enfrentamento à epidemia (Arte: MinTur/Divulgação)
Destinos de Mato Grosso do Sul com maior número de adesões ao selo de boas práticas de saúde e segurança no enfrentamento à epidemia (Arte: MinTur/Divulgação)

Bonito lidera com 71 selos, seguido por Campo Grande (54), Corumbá (15), Dourados (14), Miranda (11), Jardim (10), Aquidauana (6), Nova Andradina (6), Paranaíba (4), Três Lagoas (4), Aparecida (3), Ponta Porã (3), Rio Verde (2), Costa Rica, Ribas do Rio Pardo, Deodápolis, Selvíria, Dois Irmãos do Buriti, Ladário, Naviraí, São Gabriel do Oeste e Naviraí, todos com apenas um único estabelecimento certificado.

Os protocolos de biossegurança adotados pelo selo levam em consideração diretrizes internacionais e contam com a validação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“O Brasil saiu na frente como um dos primeiros países do mundo a contar com um selo de biossegurança para o turismo, e ter passado de 20 mil selos comprova o sucesso da iniciativa do Ministério do Turismo para auxiliar na retomada do turismo nacional, atendendo aos pré-requisitos do novo perfil de turista no pós-pandemia de coronavírus”, avaliou o ministro Marcelo Álvaro Antônio.

Na avaliação do diretor-presidente da Fundação Estadual de Turismo (Fundtur) e presidente do Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo (Fornatur), Bruno Wendling, a adesão ao selo de biossegurança do Ministério do Turismo com o cumprimento de todos os protocolos pelos empreendedores e funcionários dará segurança aos turistas na hora de escolher seu destino de viagem.

“É importante ter o selo e cumprir os protocolos. Por ser de conhecimento geral em todo o Brasil, o turista certamente vai querer saber do selo nas agências de viagens, nos passeios, nos segmentos de hospedagens, bares e restaurantes, enfim, em todos os lugares”, disse Bruno Wendling.

COMO ADERIR AO SELO – O interessado deve acessar o SITE OFICIAL, ler as orientações previstas no protocolo destinado ao segmento em que atua e estar com situação regular no Cadastur. Em caso positivo, ele adere à autodeclaração que atende aos pré-requisitos determinados e é encaminhado para uma área do site onde pode realizar o download do selo para impressão.

O selo é gratuito   e deverá ser colado em local de fácil acesso ao cliente. Nele há um QR Code pelo qual o turista poderá consultar as medidas adotadas por aquele empreendimento e/ou profissional. Além disso, possibilitará a realização de denúncias em caso de descumprimento, o que poderá resultar em revogação do selo.

Estão disponíveis protocolos para meios de hospedagem, agências de turismo, transportadoras turísticas, organizadoras de eventos, parques temáticos, acampamentos turísticos, restaurantes, cafeterias, bares e similares, parques temáticos aquáticos, locadoras de veículos para turistas e guias de turismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *