Atlético-MG não converte domínio em vitória

Mas deixa “cartão de visita” de Diego Costa. Em jogo de ataque contra defesa, Galo só empata e tem sensação de perda de dois pontos; experiente atacante estreia com gol no qual apresenta presença de área e qualidade técnica

Os números mostram: foi um massacre, um ataque contra defesa do Atlético-MG contra o Bragantino – um dos times que briga no topo da tabela. No entanto, é futebol. E o placar, que nem sempre acompanha a fria estatística, revela: ficou tudo igual, 1 a 1. O Galo sai de Bragança Paulista com a sensação de que perdeu dois preciosos pontos no Campeonato Brasileiro.

Preciosos por alguns motivos. Primeiro, pelo domínio total do jogo. Foram 26 finalizações do Atlético, contra cinco do Bragantino. Oito arremates do Galo foram na direção do gol. Nenhum do Massa Bruta incomodou o goleiro Everson. Mas e o gol paulista? Saiu em uma infelicidade (rara) do zagueiro Nathan, que fez contra ao tentar cortar um cruzamento.

No mais, o Bragantino correu atrás da bola, apostando em um contra-ataque aqui, outro ali. O goleiro Cleiton – cria da base atleticana, vendido ao adversário no ano passado, teve trabalho. E ia levando a melhor. Até que… De novo, o elenco do Atlético mostrou ser decisivo.

A invencibilidade atleticana no Brasileiro chega a 11 jogos, com impressionantes nove vitórias. Só que os dois empates foram nas duas últimas rodadas. Porém, não há motivo para desconfiança. Pelo contrário. O Atlético manteve a consistência, o poderio – e foi contra um rival que briga na parte de cima da tabela. O torcedor pode ter ficado um pouco chateado com o resultado, mas o desempenho é de time que confirma a cada rodada que briga pela taça.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *