MPMS abre investigação em Caracol por suspeita de compra de votos

O MPMS (Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul) abriu procedimento preparatório eleitoral para apurar denúncia de eventuais crimes de abuso de poder político e econômico de captação ilícita de sufrágio, conhecido popularmente como compra de votos, em Caracol, cidade no oeste do Estado.

A portaria foi publicada na edição desta sexta-feira (20) do Diário Oficial do órgão (DOMPMS). O procedimento está sob sigilo.

Um homem teria sido abordado três dias antes da eleição com R$ 4 mil em dinheiro no bolso. E na véspera do pleito, realizado no último domingo (15), três pessoas foram abordadas portando requisições para abastecimento de combustível.

A denúncia ainda aponta que foram coletadas conversas por meio do WhatsApp que tratam de  supostas interferências no comando da PMMS (Polícia Militar de Mato Grosso do Sul) na cidade.

A investigação foi aberta por determinação do promotor William Marra Silva Júnior, da comarca de Bela Vista, que engloba a cidade de Caracol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *