Mato Grosso do Sul avança em projeto sobre novas fórmulas de álcool em gel

Coordenado pelo ISI Biomassa (Instituto Senai de Inovação em Biomassa), localizado em Três Lagoas (MS), o projeto que busca fórmulas alternativas para a produção de álcool em gel  sem a necessidade do espessante cabopol, uma das matérias primas do produto e que se encontra em falta no mercado, já avançou.

O projeto, que foi aprovado dentro do Edital de Inovação para a Indústria na categoria “Missão Contra Covid-19”, receberá investimentos de R$ 2,6 milhões, financiados pelo Senai Nacional, Embrapii (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial) e pela ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial), tem o apoio do ISI Biossintéticos e Fibras (Instituto Senai de Inovação em Biossintéticos e Fibras), localizado no Rio de Janeiro (RJ), e do ISI Polímeros (Instituto Senai de Inovação em Engenharia de Polímeros), que fica em São Leopoldo (RS), e é realizado em parceria com empresas universidades.

Segundo a engenheira de bioprocessos e biotecnologia do ISI Biomassa, Jéssica Carolina Medina Gallardo, uma das pesquisadoras responsáveis pelo projeto, os oito espessantes não se tratam de uma descoberta, pois já são utilizados na produção de outros produtos, como cosméticos, mas ainda não foram usados para a produção de álcool em gel.

Jéssica Gallaerdo acrescenta que a equipe de pesquisadores já conseguiu chegar a algumas fórmulas e agora o ISI Biomassa, que conta com toda a estrutura necessária, realizará as validações microbiológicas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *