Eduardo Riedel: ‘Mais Social é um alento para quem passa por dificuldades nesta crise sanitária’

Primeiros cartões do programa já começam a ser entregues pelo Governo do Estado

A entrega dos primeiros cartões do Programa Mais Social foi feita pelo governador Reinaldo Azambuja, no último dia 13. Nesta primeira fase, 10 mil famílias serão contempladas com o benefício de R$ 200 mensais para compra de alimentos e itens de higiene. “O programa Mais Social é um alento para quem passa por dificuldades nesta crise sanitária’, disse o secretário de Infraestrutura, Eduardo Riedel.

A titular da Secretaria de Assistência Social (Sedhast), Elisa Cleia Nobre, explicou que serão implantados vários pontos para agilizar a entrega dos cartões. Apenas uma pessoa de cada família, em situação de vulnerabilidade, poderá receber o benefício e essa pessoa deve ter cadastro no CadÚnico, do Governo Federal. Segundo a Secretária a migração dos beneficiados pelo Vale Renda para o Mais Social será feita por cruzamento de dados.

Com o benefício do Mais Social será possível comprar alimentos e itens de higiene. Mas bebidas alcoólicas ou cigarros estão proibidos. E ao participar do programa, o beneficiário deverá frequentar curso de alfabetização de jovens e adultos, e cursos profissionalizantes ou voltados à geração de empregos.

Coordenado pela Sedhast, o programa de combate à vulnerabilidade social e insegurança alimentar vai atender 100 mil famílias carentes de todos os 79 municípios de Mato Grosso do Sul.

Para marcar o início dos repasses, o governador Reinaldo Azambuja e a secretária Elisa Nobre reuniram 80 famílias de Campo Grande em duas cerimônias simbólicas, uma no Jardim Tijuca e outra no Noroeste. “Primeira vez que vou receber um apoio financeiro do Governo. Estou desempregada e vai me ajudar muito”, disse Basília dos Santos, de 58 anos.

Ao entregar individualmente os envelopes, Reinaldo Azambuja explicou como deve ser feita a utilização dos cartões. “Cuide bem desse cartão, pois com ele você pode comprar o que quiser e onde quiser, no hipermercado ou na venda do seu bairro. Tem mais de 7 mil estabelecimentos credenciados. A escolha do que comprar, um óleo, um macarrão, um pacote de bolacha ou de arroz, é sua”, destacou o governador.

A estimativa do Governo do Estado é investir até R$ 240 milhões no Mais Social todos os anos. O programa será permanente. Já a participação de cada beneficiário nele está limitada a 24 meses, podendo ser prorrogada. Para receber o benefício, a pessoa deve seguir diversas regras, como ingressar em cursos profissionalizantes e manter crianças na escola. “O objetivo é auxiliar as pessoas que mais precisam”, reforçou Reinaldo Azambuja.

Segundo Elisa Nobre, as entregas dos cartões seguirão ao longo dos próximos dias. “E também continuamos com o trabalho de cadastramento, cruzamento de dados e as visitas nas casas. Estamos trabalhando com novos cadastrados e também com cadastrados que estamos fazendo a transição do Vale Renda para o Mais Social”, explicou a secretária da Sedhast.

Um dos idealizadores do Mais Social, o secretário Eduardo Riedel destacou o apoio às famílias na pandemia. “A vida da gente mudou, de um jeito ou de outro. Cada um aqui ficou com um sentimento de desamparo e necessidade. E ao longo desse ano (de pandemia), construímos um trabalho pensando em vocês. Esse cartão nada mais é do que um apoio para vocês irem ao mercado comprar aquilo que foi mais necessário”, afirmou.

“O cartão veio em uma boa hora. Vai me ajudar na compra de comida, que é o principal”, disse Paloma Dantas, de 27 anos, mãe de um filho de 5.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *