Com transmissão online, reeducandas relembram verdadeiro significado da maternidade em presídios de MS

Mulheres em situação de prisão nas unidades penais de Mato Grosso do Sul participaram de programações virtuais alusivas ao Mês das Mães. As atividades tiveram o intuito de despertar o importante papel materno para a sociedade, com foco na valorização feminina.

Respeitando o distanciamento social e os protocolos de biossegurança impostos pela pandemia, foram realizadas ações educativas, culturais e religiosas. Tudo transmitido em formato online.

“Poder compartilhar o amor de nossas mães e o que sentimos por nossos filhos foi muito especial”, revela a interna M.L.F. que participou de uma live especial no Estabelecimento Penal Feminino “Irmã Irma Zorzi” (EPFIIZ), na Capital.

O encontro contou com a participação da especialista em relacionamento de casal, advogada Regina de Fátima Megliato de Oliveira; assim como da psicóloga Daniella Frade. Ambas são especialistas em Inteligência Emocional e coautoras no livro “A Revolução das Rosas”, da Editora Saphi.

Dentre os temas tratados estão a questão da ansiedade, qualidade de vida, satisfação pessoal e questões sobre a busca da essência como mulher, como mães e filhas. O assunto foi abordado através dos testemunhos de vida das próprias palestrantes.

Ao final do encontro, um kit de beleza foi distribuído a todas as internas participantes. A ação foi organizada pela direção do presídio, com apoio do setor psicossocial.

Uma doação de fraldas e kits infantis também foi realizada no EPFIIZ como parte do projeto “Livre Gestar-Maternar”. Ao todo, foram entregues cinco cestas completas com produtos de higiene e infantis que beneficiarão as internas que participam da iniciativa. A doação foi realizada pela empresa AVA Brasil Educação e Tecnologia, por meio do projeto social “TransformAVA”, organizado pelos responsáveis da empresa Bruno Manvailer e Valdenir de Jesus.

Iniciado no ano passado, o “Livre Gestar-Maternar” já atendeu 20 custodiadas e tem como foco principal desenvolver estratégias de cuidado e atenção à saúde das gestantes ou com bebês recém-nascidos. A iniciativa é organizada e coordenada pelas psicólogas do presídio Liléia Souza Leite e Maristela Leite Niz Ribeiro, com apoio da direção da unidade penal, e busca promover práticas viáveis, sempre norteadas pelo cumprimento humanizado da pena. Os trabalhos envolvem desde questões de saúde e assistência jurídica, ao estímulo da autoestima nesse período tão complexo para a mulher.

Já em São Gabriel do Oeste, as reeducandas participaram de um dia especial preparado pela direção da unidade penal em parceria com os agentes religiosos cadastrados para o oferecimento da assistência no local.

Com um ambiente todo decorado, foi transmitido louvores e uma mensagem de fé e esperança às custodiadas. Teatro e leitura bíblica também fizeram parte das apresentações remotas; ao final, foram sorteados diversos brindes e lembrancinhas especiais em comemoração ao Dia das Mães.

No Estabelecimento Penal Feminino “Carlos Alberto Jonas Giordano” (EPFCAJG), em Corumbá, ações sociais foram desenvolvidas junto às reeducandas. Neste mês, diversos kits de higiene foram entregues pela Pastoral Carcerária do município e a Secretaria de Assistência Social de Corumbá, que também doou chinelos como forma de atender as necessidades das mulheres em situação de prisão no local.

A Unidade Materno Infantil do presídio também foi contemplada com doações de produtos para bebês, provindos do Lions Clube de Corumbá. As integrantes, juntamente com a coordenadora da Pastoral, entregaram os produtos para as reeducandas gestantes, como forma de auxiliar nos primeiros meses de vida dos bebês.

A diretora do EPFCAJG, Elizandra Assis da Silva, agradeceu a colaboração das instituições parceiras, destacando a importância dos materiais recebidos para o bem-estar das internas. “São ações como essas que ajudam a levar um conforto para as reeducandas que não possuem visitas ou condições financeiras”, informou.

Toda as ações que incentivam a reinserção social dos apenados são coordenadas pela Diretoria de Assistência Penitenciária da Agepen.

Tatyane Santinoni, Agepen

Fotos: Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *